Vinho
Indicar para um amigo

Postales Del Fin Del Mundo Rosado (Bodegas Del Fin Del Mundo)

País: Argentina (Neuquén – Patagônia)
Safra: 2006
Tipo: Rosé (60% Merlot, 40% Malbec)
Álcool: 13,50%
Temperatura de consumo: 10ºC a 12ºC
Preço: R$ 34,90

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

Relativamente nova na Argentina, a Bodegas Del Fin Del Mundo é uma das quatro vinícolas desbravadoras do mais recente pólo de vitivinicultura daquele país: a Província de Neuquén, no deserto da Patagônia.

Este Postales Del Fin Del Mundo Rosado é uma das boas expressões do produtor, um vinho jovem, leve. Cerca de 100 mil garrafas por ano são produzidas deste rosé, um corte das cepas Merlot (60%) e Malbec (40%), abastecendo a mercados como todo o continente americano, além de Suécia, Itália e Finlândia, entre outros, na Europa.

O plantio dos vinhedos data de 1999 e a primeira produção da Bodegas saiu em 2002, com comercialização iniciada em 2003. Hoje, são produzidas ali 5 milhões de garrafas/ano, explorando a baixa altitude e excelentes condições do solo. Apesar dos ventos fortes da região, não há geadas e nem mesmo precipitações, sendo os vinhedos irrigados com águas do Rio Neuquén, advindas do degelo da Cordilheira dos Andes.

O Postales Rosado se encontra no grupo de vinhos jovens da adega, que não passam pelo carvalho, obtendo uma presença marcante de frescor e frutas. Uma obra do enólogo Marcelo Miras, contando com a consultoria do francês Michel Rolland, provavelmente o enólogo-consultor mais conhecido do mundo.

A safra de 2006 foi engarrafada em junho daquele ano e suporta uma guarda até dois anos. Depois disso, o vinho começa a perder seu esplendor. O fabricante recomenda o consumo numa temperatura entre 10ºC e 12ºC e, para harmonizar, queijos com sabor pouco intenso e saladas.

Análise Técnica

Instado por MundoVinho a comentar sobre este Postales Del Fin Del Mundo Rosado, durante o 10º Wines of Argentina, realizado em abril de 2007 em São Paulo, Ignacio Torti, representante da área de exportação da Bodega Del Fin Del Mundo, cravou: "O ponto forte deste vinho é sua presença de frutas e seu frescor".

Torti concedeu 85 pontos em 100 possíveis para este exemplar, com destaques no exame visual, de cor "muito boa" (8 pontos) e limpidez "brilhante" (8 pontos), além de notas máximas para a persistência (8 pontos – "muito persistente"), no exame olfativo, e também para o equilíbrio "harmônico" (16 pontos), no exame gustativo.

"O aroma de frutas doces, um pouco cítricas, se destacam no olfato", observou o especialista. "Nota-se que é um típico rosé, muito jovem, leve, alegre, pronto para ser servido como uma entrada, um aperitivo, em dias quentes", sugeriu, ao enfatizar que, ainda no olfato, a persistência aromática marca bastante o exemplar.

Na boca, o representante da vinícola destacou o frescor do vinho, em pleno equilíbrio com a acidez. "Seria até permitido que este vinho tivesse um pouco mais de álcool, além dos 13,5%, tamanho é o equilíbrio mantido com a acidez e o frescor por ele apresentado", ponderou.

O especialista insistiu ainda na persistência do vinho na boca, "atípica para um rosé". "Há uma preocupação muito grande na Bodega Del Fin Del Mundo para que nossos vinhos tenham uma presença marcante, prevalecendo o sabor da fruta. Assim é este vinho."

Nossa Análise

Os vinhos rosés aumentaram sua presença nos últimos anos de forma significativa no mercado brasileiro. Resultado de uma oferta maior de produtos, campanhas intensas de marketing e consumidores desejosos por novidades.

Jovem, com muito frescor e bem frutado, o Postales Del Fin Del Mundo Rosado é dessas boas novidades. Degustamos o exemplar de safra 2006 durante o 10º Wines of Argentina, em abril de 2007, realizado em São Paulo.

Eis um vinho que parece combinar bem com os dias quentes. O rótulo do produtor informa que a temperatura de serviço deveria ser de 10ºC a 12ºC, mas a ficha técnica aponta de 6ºC a 8ºC. De toda forma, um vinho que deve ser tomado gelado e mantido num recipiente com gelo, porque, quando sobe um pouco a temperatura, acidez e álcool (13,5%) começam aparecer e deixam o vinho menos saboroso.

Visualmente, o líquido apresenta um rosa pálido, muito bonito, por sinal. No nariz, prevalece a fruta e lembra cereja doce e fresca. Com o passar dos minutos, surge um cheirinho de limão, além de toques florais, lembrando quase um perfume.

Na boca, também é marcante a presença de frutas, confirmando o gosto de cereja fresca. A acidez, que provoca salivação na boca, mantém equilíbrio com o álcool, tornando o vinho muito fácil de beber. Não pede, por isso, nenhum acompanhamento, servindo de ótimo aperitivo. Para quem pretende experimentar rosé, esse parece ser um bom começo.

Harmonização
Peixes com temperos leves
Queijos sem sabor intenso
Saladas
Patês
Onde Encontrar
Estação do Vinho
Telefone (11) 3045-2461 ou 0800-7271513
Copyright® 2017 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions