Vinho
Indicar para um amigo

Fra Guerau Tinto Semicrianza (Viñas del Montsant - Freixenet)

País: Espanha (Montsant - Catalunha)
Safra: 2003
Tipo: Tinto (Syrah, Garnacha Tinta, Monastrell, Tempranillo, Cariñena, Cabernet Sauvignon e Merlot)
Álcool: 13,00%
Temperatura de consumo: 16ºC a 18ºC
Preço: R$ 87,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

A Viñas del Montsant pertence ao Grupo Freixenet, um dos principais conglomerados espanhóis no setor vinícola, uma corporação literalmente globalizada, com propriedades em quase todos os países produtores de vinhos. A Freixenet é extremamente famosa e reconhecida como um ícone dos espumantes, as chamadas “cavas” espanholas.

A produção da Vinãs del Montsant é focada essencialmente em tintos tranqüilos. Apenas deste Fra Guerau Semicrianza, um exemplar intermediário da vinícola, são produzidas cerca de 80 mil garrafas a cada safra.

Trata-se de um “semicrianza” por passar quatro meses estagiando em barricas de carvalho (25% francesas e 75% americanas). Por ser um coupage, nasce da mistura de uma série de uvas (Syrah, Garnacha Tinta, Monastrell, Tempranillo, Cariñena, Cabernet Sauvignon e Merlot), em proporções não informadas pelo produtor.

A região de Montsant, na Catalunha, foi criada somente em 2002. Ali, numa área demarcada de 1,8 mil hectares, há uma grande variedade de solos e altitudes que oscilam de 200 metros a 700 metros acima do nível do mar, resultado do posicionamento entre montanhas. O rio Montsant, que praticamente corta toda a região, exerce grande influência sobre os vinhedos, assim como acontece também com o Mar Mediterrâneo.

Uma breve história do Fra Guerau. Trata-se de uma homenagem ao monge Guerau Miquel. Há cerca de 800 anos, esse monge teria chegado até a região de Montsant durante o período das Cruzadas e de viagens de peregrinos por toda Europa. Conhecido por ser milagreiro, teria curado a rainha Sanza de uma enfermidade e, como agradecimento, foi presenteado pela monarquia com um pedaço de terra naquela localidade. Hoje, Guerau Miquel é um dos personagens históricos de Montsant.

A safra 2003 deste Fra Guerau Semicrianza é tida como “ótima”, considerando-se o histórico da região. Um vinho que deve ser consumido até 2010, preferencialmente acompanhando carnes vermelhas ou queijos maturados.

Análise Técnica

Ao comandar uma degustação do Grupo Freixenet na Enoteca Saint VinSaint, em São Paulo, em novembro de 2008, o enólogo espanhol Miguel Salarich Estruch, da Freixenet, destacou o que entende ser “relação excepcional” de qualidade e preço do Fra Guerau Semicrianza. “Um vinho perfeito, muito completo”, elogiou.

Segundo Estruch, embora resultado de um coupage, ou seja, uma mistura de cepas (neste caso, sete uvas), ele entende que três são as que mais se destacam no exemplar catalão: Syrah, com seus toques aromáticos de florais e de pimenta; Cariñena e Garnacha Tinta, dando corpo ao vinho.

A coloração apresentada, segundo ele, é de um profundo vermelho cereja, combinado com rubi brilhante. Nos aromas, ele apontou sensação levemente tostada, com notas de café da barrica. Ainda citou presença pronunciada de cereja, balsâmico, frutas vermelhas, especiarias e complexas notas minerais.

Na boca, o enólogo descreveu o equilíbrio, com destaque para a suavidade dos taninos. “É perfeito para acompanhar uma refeição”, enfatizou, ao acrescentar o sabor alongado após o gole.

Ponderou também que, embora somente 25% do Fra Guerau Semicrianza tenha passado por carvalho francês, por quatro meses, ainda assim essa barrica se destaca mais do que os 75% do carvalho americano. “Há muito sabor de grafite, puxado pelas barricas francesas”, argumentou.

Nossa Análise

A Espanha sempre se renova na produção de vinhos, por métodos inovadores e experimentação de novas cepas. A Catalunha, em especial, tem merecido cada vez mais atenção e reconhecimento pelo sério trabalho que tem feito.

Por isso, esse Fra Guerau Semicrianza mereceu uma atenção redobrada de MundoVinho durante a degustação realizada em novembro de 2008 pela Saint VinSaint, em São Paulo.

Primeiro, por se tratar de um coupage, uma mistura de cepas, num total de sete neste exemplar (Syrah, Garnacha Tinta, Monastrell, Tempranillo, Cariñena, Cabernet Sauvignon e Merlot), algo pouco usual na vinicultura de hoje.  Além disso, porque realmente foi um vinho que se destacou no painel de seis rótulos apresentados.

Sua coloração é de um cereja intenso, com reflexos violáceos, brilhantes. Encanta pelos perfumes exalados: especiarias, de forma marcante, combinado com frutas vermelhas (algo de cereja e amora), pimentão (remetendo à Syrah) e balsâmico.

Essa complexidade aromática ganhou novos contornos no paladar. Seco, de corpo médio, mostrou textura macia na boca. Bem integrado ao álcool, o tanino (substância adstringente que comprime lábios e gengivas) apareceu levemente, combinando com a acidez (provocadora de salivação). Além do gosto de frutas vermelhas, é fácil perceber uma ponta levemente salgada, mineral, que remete a grafite. Persistente, manteve sabores até cerca de 8 segundos após o gole.

Um vinho gostoso, pronto para o consumo. De ótima complexidade aromática e de sabores. Depois de alguns minutos na taça, evoluiu para um aroma tostado, muito convidativo. Vale a pena preparar uma refeição saborosa para acompanhá-lo, como um pato assado.

Harmonização

Pato assado
Carnes vermelhas
Caças
Queijos maturados

Onde Encontrar

Enoteca Saint VinSaint
(11) 3846-0384 (São Paulo)
www.saintvinsaint.com.br

Copyright® 2017 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions