Vinho
Indicar para um amigo

Chateau Pape-Clément (Chateau Pape-Clément)

País: França (Bordeaux – Graves)
Safra: 2005
Tipo: Tinto (70% Merlot e 30% Cabernet Sauvignon)
Álcool: 13,50%
Temperatura de consumo: 16ºC a 18ºC
Preço: R$ 1.500,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

A safra 2005 de Bordeaux foi a mais comemorada do século. Para alguns especialistas, é a melhor de todos os tempos. O fato é que em 2005 as condições climáticas foram perfeitas para a ideal maturação das uvas e consequente produção de vinhos concentrados.

Houve insolação permanente, mas sem excesso de calor, choveu na hora e na quantidade certas, e foi um ano também sem pragas e sem intempéries que pudessem prejudicar os vinhedos.

Exatamente desta safra considerada “excepcional” surgiu esse Chateau Pape-Clément, do castelo de mesmo nome, localizado na margem esquerda do rio Garonne, em Graves – Pessac- Léognan.

Esse tinto é o mais nobre produzido pelo castelo, que é, por sua vez, o mais velho grand cru de Bordeaux. As primeiras vinhas foram plantadas no século 13 por Bertrand de Goth, eleito o papa Clément V em 1305, a inspiração para o nome do chateau.

Um vinho tinto 70% de uvas Merlot e 30% de uvas Cabernet Sauvignon, que estagiou de 18 a 24 meses em barricas de carvalho, denominado um cru classé, conforme a classificação de 1959 da AOC Pessac-Léognan.

Dele, segundo Christophe Vayssières, embaixador do grupo Bernard Magrez, atual proprietário do Chateau, nasceram 90 mil garrafas, algumas delas importadas ao Brasil pela Grand Cru, onde MundoVinho experimentou o célebre tinto, em janeiro de 2009, na capital paulista.

Trata-se de um grande tinto Bordeaux de uma excepcional safra, com potencial de guarda de 15 a 20 anos, segundo Vayssières, mas que já apresenta finesse suficiente para ser aberto em 2009, degustado sozinho ou acompanhando pratos da alta gastronomia.

Análise Técnica

Christophe Vayssières, embaixador do grupo Bernard Magrez, atual proprietário do Chateau Pape-Clément, se apóia na “excepcional safra 2005” para descrever as qualidades do nobre tinto homônimo do castelo.

Presente em degustação organizada pela importadora Grand Cru, em São Paulo, em janeiro de 2009, afirmou ser o Chateau Pape-Clément 2005 um vinho encorpado e com grande concentração de fruta. “Isso nos deu possibilidade de afiná-lo por até 24 meses em barrica de carvalho e a real certeza de que seu potencial de guarda é de 15 a 20 anos”.

No corte, Vayssières explicou o papel das duas uvas deste grand cru classé de Graves, sendo a Merlot responsável principalmente pelo aspecto frutado, enquanto a Cabernet Sauvignon colabora no corpo, na acidez e nos taninos.

O embaixador destacou a cor intensa do vinho, os aromas de frutas vermelhas e negras e os toques de cacau, baunilha e chocolate. Na boca, Vayssières fez questão de frisar o equilíbrio do vinho mesmo ainda jovem, com boa acidez e, taninos finos integrados com o álcool.

“Este vinho, mesmo com um potencial de guarda de 15 a 20 anos, o que certamente o fará evoluir, já pode ser aberto e consumido agora. Vai depender do gosto do degustador”, disse.

O livre arbítrio ao degustador também foi concedido pelo especialista em relação à harmonização do Chateau Pape-Clément. “Não há regras. Esse vinho é delicioso sem acompanhamentos, ou pode ser um ótimo acompanhamento ao lado de um belo prato de bacalhau, como uma vez testei e adorei. Assim, novamente, vai depender do gosto de cada um”, finalizou Vayssières.

Nossa Análise

Este Chateau Pape-Clément é um tinto de Bordeaux da safra 2005, a mais celebrada do século e para alguns especialistas a melhor safra de todos os tempos. Trata-se de um vinho classificado com a denominação grand cru (vinhedo excelente) classé, que só perde para o superior premier gran cru classé. Por isso, o valor de R$ 1,5 mil por uma garrafa de 750 ml.

Sua cor é um vermelho rubi muito profundo que impede a passagem de luz através de taça, coloração que se justifica pela grande concentração de extrato característica da maioria dos vinhos superiores bordoleses.

Em relação aos aromas, pode-se destacar a muito boa intensidade e complexidade, com odores que lembram frutas vermelhas e negras, além de toques de chocolate e baunilha, Aromas elegantes, nem um pouco explosivos ou agressivos, denotando a superioridade deste grande vinho.

Na boca, um tinto seco de peso, encorpado (sensação tátil do vinho), com taninos (substância adstringente que comprime lábios e gengivas) leves e sutis (finos), e acidez muito bem integrada com o álcool. Muito importante destacar ainda sua longa persistência de aromas depois do gole (quanto maior, melhor), outro fator que aponta sua qualidade diferenciada.

Este Chateau Pape-Clément, apesar de um potencial de guarda para atingir seu auge em 2020, já está muito agradável para ser degustado, por já apresentar quase nenhuma adstringência e muitas sensações prazerosas.

Pode ser consumido sem acompanhamentos, ou harmonizado com pratos da alta gastronomia. Vai muito bem com carnes de caça, carnes vermelhas e costeleta de cordeiro.

Harmonização

Carne de caça
Carnes vermelhas
Costeletas de cordeiro
Sem acompanhamento

Onde Encontrar

Grand Cru
(11) 3062-6388 (São Paulo)
www.grandcru.com.br

Copyright® 2017 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions